Faz certo tempo que comecei a conversar mais com uma pessoa, e uma das coisas que me surpreende ao fazer novos grandes amigos é em como conseguimos ser tão parecidos em tantas coisas. E em uma das conversas debaixo da escada chegamos a uma conclusão... temos preguiça de muita gente.

Já havíamos conversado muito antes sobre como gente tende a desapontar com atitudes, e já concordamos que não gostamos muito de gente. Gente dá trabalho, gente enche o saco, gente pula no pescoço e fica lá, morando, como se fosse obrigação nossa carregar o peso alheio. Gente dá muita preguiça.

Mas a maior de todas as preguiças de gente é a preguiça de aturar, de manter qualquer tipo de relação onde uma pessoa tende a depender em demasia de você, ou a exigir coisas que não tem direito, ou a fazer tempestade em copo d'água.

Isso não é um texto de desabafo, é um texto de explicação do óbvio. Se você transforma o ato de levantar um copo em uma maratona impossível de ser completada, se você diz que vai se matar e não se mata, se você enche a boca pra falar merda ou tem prazer em soltar uma diarreia de mimimis sem sentido, fique sabendo, você dá preguiça. Secretamente ninguém de suporta, ninguém que tenha preguiça de gente.

Outro fato é que quanto mais velhos ficamos, mais a preguiça de gente aumenta, não é uma doença, mas ela se espalha e cresce como um tumor. Gosto de pensar na PdG como uma evolução natural do ser humano pensante, que não quer perder tempo com mimimi alheio, que prefere gastar o precioso tempo de vida que tem com coisas mais importantes, como dormir, ou fazer uma bolinha de papel.

Não é que temos o coração de ferro, é que gente chata cansa, aturamos até certo tempo mas depois que este período de estágio da chatice passa, a vontade de dar uma tijolada na cara da pessoa é maior que a amizade sofridamente cultivada.

Também não quero dizer que quem tem PdG não acorda depressivo, não fala de amor incorrespondido ou não reclama de vez em quando, a diferença é que um dia a gente se toca e volta a ser uma pessoa normal. Gente que dá preguiça não tem esse discernimento, o trabalho dela é esse, a vida dela gira em torno disso. 

Você tem PdG? Vamos nos juntar em uma cidade chinesa abandonada e criar o nosso próprio canto lá, assim fugimos de gente que dá preguiça. Vamos comer brigadeiro, ouvir música indie, ler livros e abandonar essa chatice toda. A outra opção é desligar o mundo, quem topa tentar?