- É isso? - Perguntou ele desconcertado acreditando ter feito tudo errado.
- Sim - Respondeu ela com um sorriso.
- Sério? E... uh... foi bom?
- Sim, quero outro.- Aumentou o sorriso.
- Imaginei que seria... diferente. - Ignorou o pedido.
- Diferente como?
- Não sei, apenas diferente. - Respondeu tentando não soar desapontado.
O único problema é que ele sabia como se sentia, aquele encontro de lábios, línguas e saliva foi estranho e pareceu-lhe desnecessário, banal , errado.
Sentia-se sujo, sentia que talvez fosse diferente com a pessoa certa. Uma ponta de arrependimento lhe perfurou de leve o coração, ele sentiu os olhos arderem ao fabricar uma lágrima que suprimiu para parecer forte. A confusão lhe tomava o corpo todo.
Despediu-se dela com um abraço seco, sem beijos, sem vontade de encontrá-la novamente.
E a pergunta ainda reina em sua mente: "Se foi certo, por que pareceu errado?"