Das cartas supostamente anônimas que acumulam sentenças desprovidas de sentido, sim... Você!

Não me agrada em nada sua atitude petulante, não me agrada em nada sua falta de coragem, seu problema em se deixar ver e em fazer claras suas intenções, cansei... Já o tive como amigo, e posso ter me afastado, pode ser que com isso o tenha induzido (de maneira inconsciente) a agir da maneira que vem agindo a meses.

A vida anda, e eu procuro caminhar no mesmo passo, procuro crescer da melhor forma possível e não tenho ânimo para lidar com homens sem rosto, ou sem voz. Existe uma linha tênue entre amizade e raiva, e ela existe já que amigos usufruem de direitos que são negados ao resto dos seres humanos.

Quando a linha é cruzada não há retorno, morre o amigo e nasce o resto... sinto muito. Faça a mim um enorme último favor, leve consigo seu único trunfo, esta máscara de vidro que carrega e estima, leve consigo tua obsessão e bata a porta com força ao sair da minha vida. Não olhe para trás e não titubeie, seja feliz... I can't go, but you must!