Eu respeito opiniões mas não e calo quando as considero equivocadas, em julho deste ano um colunista que busca sempre a polêmica no site da Veja, Rodrigo Constantino publicou um texto intitulado "Onde foram parar os machos?", onde descreve sua visão conservadora e antiquada do que significa ser um "homem de verdade" e a conflita com o que ele considera, uma visão atual (e, em sua opinião, nada evoluída) do que é ser macho.

Rodrigo esconde em suas palavras um sentimento que, infelizmente, possui grandes adeptos no país. Aparenta ser mais um daqueles heterossexuais oprimidos por seus pensamentos, que tentam se manter em terreno neutro com medo de manifestar sua opinião verdadeira e machista. O mundo mudou, como ele mesmo destaca, e evoluiu verdadeiramente. Hoje o conceito de homem se justifica muito mais por atitudes do que por pinto entre as pernas ou estereótipos escrotos como o de coçar o saco.

Rodrigo tenta mostrar que entende a evolução do conceito de "macheza" mas será que ele está sendo sincero? Talvez ele acredite que sim, muitas vezes nos induzimos ao erro. O machismo está ali implícito, e o machismo daquele pior tipo, o extremo oposto do feminismo extremo, sim.

Mas quem é Rodrigo? Que direito ele tem de querer manter um estereótipo antiquado? Todo. Mas querer não é poder, felizmente. Ele ataca extremos e os compara com extremos opostos, isso é justo? Não acho que seja.

Sou macho sim, e "Posso brochar. Posso falir. Posso ser frágil. Posso ser sensível. Posso ser cabeleireiro, decorador, artista e não gostar de futebol. Posso admirar uma mulher que eu ache bela com respeito", mas principalmente posso achar que não há problema nenhum em poder fazer e/ou ser tudo isso.

O machismo pode estar maquiado naquele texto mas está ali, e está no banco da praça quando um senhor vê um casal homossexual e pensa "essa raça tem que morrer mesmo", não precisa externar, não precisa falar, não precisa nem olhar diferente. O problema é que o preconceito está ali, enraizado.

Chorar, broxar e ser sensível não impede nenhum homem de prover para sua família, de agir com respeito e dignidade, de ser um modelo de honestidade. Se depilar não anula o fato de um homem ter "pegada", não o impede de proteger uma mulher quando necessário. Nada do que ele cita incluindo "'brincar' sexualmente com outros homens" anula o fato de um homem ser homem, pode anular o fato dele ser um homem heterossexual, machista, fechado e sem sentimentos, mas não anula o fato de ser homem e nem a possibilidade de ser macho.

Triste é ver que isso não entra na cabeça da sociedade, a definição incrível de Charles Murray que ele mesmo usou no outro texto para definir um homem é esquecida, ele prefere atacar a vaidade, a sensibilidade e a fragilidade do homem moderno do que usar de seus "argumentos competentes" para nos convencer de que é impossível ter uma "postura de firmeza diante da vida" e ao mesmo tempo ser fresco. Sabe por quê? Por que não é!

Ele mesmo engrandece Clodovil como macho por sua postura, mas coloca Laerte - um exemplo do que eu considero ser "macho" - como o extremo oposto disso. Laerte, uma mulher que teve coragem de se abrir para o mundo e dizer que nasceu errado... Quer maior exemplo de macho numa sociedade extremamente retrógrada como a nossa? 

Rodrigo antecipou as críticas não porque a nossa sociedade está cheia de não-me-toques e sim porque no fundo ele sabe que sua cabeça é a mesma que a dos machistas espalhados por aí, que defendem um macho ogro e não um macho moderno. Mais um dos que veem dois homens se casando e pensa "qual deles é a mulher da relação?" e não entende que não tem mulher ali, se tivesse o casamento seria heterossexual. São dois homens, plenamente capazes de exercer sua "macheza" mesmo gostando de dar a bunda.

O que falta é só aceitar de verdade, e não dizer que aceita para fingir que é progressista, para fazer parte do grupo. Ainda bem que nossa sociedade permite a Rodrigo que coloque sua opinião num site importante, que tenha visibilidade e ainda bem que todos podem defender seu ponto de vista. O que não pode é ser incoerente.

PS¹: Sobre o vídeo do Clodovil, ele foi vaiado por estar errado, por quê se prostituir é antagônico a buscar a beleza, a buscar a "deus"? Não é! Cada um faz com seu corpo o que bem entende, parem de se preocupar com a vida alheia.

PS²: Justin Bieber é um lixo de ser humano, não merece título algum, nem de homem moderno nem de homem qualquer.