O passado é traiçoeiro. Sério, mude de canal, nada de novo por aqui, só o mesmo velho clichê de sempre. Mas convenhamos, passado é uma merda. Não me venha com "mas e as coisas boas?", você lembra das coisas boas e sente o quê? Saudade.
Saudade é aquele sentimento definível e que ninguém consegue definir, a gente pode ter saudade de coisas concretas ou de coisas abstratas, mas saudade não é algo legal de se sentir. Saudade trás, como diria Wikipedia, angústia, nostalgia ou tristeza, quem quer sentir qualquer uma destas três coisas? É quase um sentimicídio pensar no passado e, consequentemente, ter saudades.
Mas passado é um saco, ele está lá presente insistentemente. É como aquela pessoa que não fica feliz em riscar o seu carro, ele risca e assina embaixo, se você não a procura ela risca de novo e deixa o número de telefone. Ela quer que você a encontre e ela faz da sua vida um inferno até você ir confrontá-la e perguntar: "Por quê?". Aí ela sorri e começa a frase com um delicioso e infernal: "Lembra...?"