Ás vezes me sinto impedido de definir sentimentos que nem eu mesmo entendo. Talvez parte desta falta de definição venha desta linha traçada pela língua que me impede de pensar, é como se após o oceano de muito mais de 340 mil palavras existisse realmente um abismo. Abismo cercado por monstros. Ás vezes me aventuro e busco a sonoridade na língua alheia, mas a definição ainda não está lá, ainda se recusa a me dizer o que sinto... e eu, sendo limitado, sou obrigado a apenas sentir sem ter como explicar.
E quando bate aquela vontade de definir eu defino por aproximação, por comparação. Mas tente comparar um sentimento com uma sensação... é estranho, é errado.