Sou daqueles que ouve música na esperança de gostar e nessa minha atitude irracional acabo por me nausear com algumas delas. É incrível como uma simples mistura de graves  e agudos podem me levar a loucura, no mal sentido. Nessas horas eu desejo que os fones não fossem intra-auriculares e que a qualidade do som fosse a mesma da de uma cigarra cantando ao lado de um trem, inaudível.
Importante lembrar que não estou falando de letras aqui, adoro muitas músicas nas quais nenhuma palavra é pronunciada ou que as mesmas não fazem sentido algum. É incrível como notas, por mais baixas que sejam, podem fazer de uma obra prima um concerto de garotos atrapalhados. Não tenho capacidade para avaliar quase nada, e música é uma das coisas que mais viaja no meu aeroporto de gostos e desgostos. Numa hora estou Liz, noutra estou Pop. Mas nunca estarei trash! Na verdade eu já estive trash, mas não é uma época digna de lembranças.