Ele disse que aceitava suas condições, correu com a melhor amiga dela para a Tiffany & Co. mais próxima. Comprou o anel mais bonito na sua faixa de preço, a amiga dela chorou, ele disse pra ela se acalmar... Ela contiunuou chorando, não pela beleza do anel, não pelo excesso de hormônios da gravidez, mas de felicidade pela amiga. Ele gritou:
- São os hormônios, ela está grávida!
- Não dele! - retrucou rapidamente a amiga.
Levou a gravida para casa e seguiu para casa dela.
Recebeu-lhe com um beijo e desandou a falar, como de costume. Jantaram, assistiram a um filme.
Ela subiu as escadas puxando-o com as pontas dos dedos, sentaram ambos na cama, ainda desarrumada da manhã anterior, se olharam por alguns instantes até que ela quebrou o silêncio:
- Tem certeza que é isso que quer?
- Do que você está falando? - Respondeu-lhe ele.
- Filhos, me olhe nos olhos e diga que tem cem por cento de certeza que não vai querer nenhum.
Ele hesitou, mas por fim disse:
- Acho que sempre acreditei que te convenceria a tê-los.
Ela o fitou tristemente
- Não vai dar certo né? - Disse ele com a voz embargada.
Ela só o abraçou e chorou, ele sabia a resposta. No dia seguinte o anel estava na vitrine novamente.