E ele tentava, ensaiava o que diria, o que faria, mas nada parecia dar certo. Na hora do beijo o garoto esquecia de tudo, suas mãos ficavam trêmulas, o coração disparava, o estômago revirava. Ele sorria, mas sorria de nervosismo enquanto assistia passivo a ela trancando o portão e entrando em casa.
Ficou uns longos cinco minutos escorado no muro, pensava em como não conseguia fazer algo que gostaria de ter feito a muito tempo, em como seu corpo relutava em obedecer-lhe os comandos quando mais precisava.
Voltando pra casa imaginava como ela teria se sentido e se martirizava por não ter conseguido fazer o que é tão natural à tanta gente, pensava em ligar e avisar que estava voltando para terminar a noite como ela deveria ter terminado. Mas não podia, não conseguia.
Ao chegar em casa,tomou um banho e deitou-se de laptop no colo, tentou se desculpar mais uma vez aquela que há tanto tempo lhe esperava. E ela, com seu poder de fazer a vida melhorar, disse-lhe para deixar de bobagem, que a noite havia sido maravilhosa, e que o amor era mais importante que qualquer coisa. Ele a respondeu concordando, realmente o sentimento de ambos já havia superado muito mais.
O garoto que não sabia beijar dormiu mais tranquilo, tentou não pensar na sua falha, tentou não pensar em como solucioná-la, dormiu sorrindo, esperando que nas noites que virão, quem sabe, terá a chance de aprender a beijar com a garota que ama.