Já escrevi tantas linhas e as apaguei em seguida, que ás vezes me pego criando um cemitério para elas. Terão as palavras, minhas doces e amadas palavras, um lugar para ir quando não são usadas?
Talvez seja injusto pensar em novas quando já me livrei de tantas, parece desperdício.